2020-11-05

«Desenvolver Portugal – Reflexões em tempo de pandemia», de Eduardo Catroga

Eduardo Catroga apresenta uma visão para Portugal no mundo, num cenário de desglobalização, de reindustrialização e da crise pandémica da Covid-19, que mudou o mundo

Partilhar:

A esperança nunca pode morrer quanto a um desejado momento «Eureka» de tomada de consciência da necessidade de se quebrar a inacção estrutural que nos tem tolhido. Desta vez tem de ser diferente, na concepção e na execução.

 

O novo livro de Eduardo Catroga, Desenvolver Portugal – Reflexões em tempos de pandemia, chega às livrarias a 20 de novembro e prepara o leitor – e o País – para os desafios do futuro. Com prefácio de José Miguel Júdice, esta obra tem como ponto de partida o diagnóstico dos desafios estruturais do País para fundamentar as propostas para a melhoria dos seus indicadores do bem-estar económico e social, ou seja, da qualidade de vida das pessoas.

 

Com origem num conjunto de reflexões sobre a economia portuguesa na sua envolvente europeia e global, aproveitando a pausa profissional exigida pelo confinamento da primavera de 2020, Eduardo Catroga organiza a sua argumentação em 15 Reflexões que evidenciam uma perspetiva sistémica e estrutural para defender que desta vez terá de ser diferente e que Portugal deve saber tirar as ilações necessárias das três crises económicas que experimentou em democracia e que o autor, ex-ministro das Finanças e gestor, revisita no livro: 1977-1978; 1983-1984; e 2011-2014.

 

O contexto e as ilações das crises económicas e financeiras em Portugal no período de 1974-2019, as tendências geopolíticas e o plano europeu de recuperação económica da crise do coronavírus e as políticas para Portugal no horizonte de 2030 compõem esta obra imperdível que reflete sobre a deteção de oportunidades geradas pelas crises e sobre a tendência de Portugal caminhar para a cauda dos países europeus que procuram a convergência do nível de vida com os países mais desenvolvidos.

 

A minha convicção é que não existe na sociedade portuguesa ninguém tão multifacetado nesses domínios e tão capaz de operar o equivalente a uma optimização matemática de todas essas valências, experiências e saberes. José Miguel Júdice, no prefácio.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK