2020-01-09

O que significa ser-se homem?

Já se questionou sobre o que significa «ser homem»? Para o jornalista Phil Barker, essas duas palavras, «sê homem», têm definido o género masculino na nossa sociedade. Esta formulação, tão difusa e que todos nós já ouvimos alguém usar, esconde uma série de proibições e está na origem da definição tradicional de masculinidade: «Não dês parte fraca. Não expresses emoções – à exceção da raiva. Não chores. Não sejas mole. Não sejas sensível. Não sejas maricas. Não sejas gay. Não sejas “feminino”. Não peças ajuda. Sê dominador em todas as interações.» Uma definição restritiva, danosa para homens e mulheres, e que o autor de A (R)evolução do Homem convida a repensar, num livro com tradução de Cláudia Ramos, que chega às livrarias a 17 de janeiro.

Partilhar:

Phil Barker passou anos a investigar e a escrever sobre as elevadas taxas de suicídio entre os homens, a violência doméstica, a pornografia e a misoginia – mas também sobre a amizade masculina, os prazeres de ser pai e as relações entre homens e mulheres. Esta análise e reflexão fê-lo questionar o modelo tradicional de «masculinidade». Em A (R)evolução do Homem, Barker convida-nos a repensar o que significa ser-se homem e pede a todos os homens que ousem uma forma de vida mais livre, mais saudável e mais feliz para eles e para as pessoas que amam.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK