2022-05-06

O retrato da filha do último diretor da PIDE, que abandonou tudo pela revolução cubana

Novo romance de Ana Cristina Silva.

Partilhar:

À Procura da Manhã Clara, de Ana Cristina Silva, combina realidade e ficção num romance tão sedutor como a figura de Annie Silva Pais, filha do último diretor da PIDE, que abandonou tudo pela revolução cubana. Pesando factos e indícios, oferece-nos um retrato pleno de intimidade numa irresistível galeria de personagens, de entre as quais sobressai Che Guevara, o grande amor de Annie.

 

«Não sei até hoje o que foste verdadeiramente na minha vida. Chego a pensar que conheço muito pouco de mim própria, daí as razões de ter sido tão misteriosa para os outros. A minha mãe sempre desejou que eu fosse outra pessoa, ou mesmo que não tivesse nascido. Em qualquer dos casos, para fugir aos valores rígidos da sua educação, em vez de uma personalidade, desenvolvi uma índole de oposição. Sei apenas que continuo a gostar do sonho que me arrastou até ti. Continuas enterrado no meu espírito como uma inesperada aventura, embora as minhas lembranças de ti sejam feitas de minúsculos fragmentos que têm dificuldade em juntar-se numa visão que faça sentido. Nada disso importa agora; há muito que o nosso amor deixou de ter expressão terrena. Em breve, também eu serei apenas o espírito destas palavras e da minha existência restará somente o enigma das suas teias.»

 

Ana Cristina Silva, autora de Bela, traz-nos agora este magnífico À Procura da Manhã Clara, cuja temática encontra reflexo no imaginário de muitos leitores. Nas livrarias a 12 de maio.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK