2021-10-28

Steven Saylor e a mais pura essência da história de Roma

«Dominus», o culminar da narrativa épica do Império Romano, desde a sua fundação à sua queda, nas livrarias

Partilhar:

Dominus: latim para «Senhor», vocábulo que os escravos da República Romana usavam para se dirigirem aos seus donos; depois, na era do império, esta forma de tratamento foi rejeitada por alguns imperadores, mas exigida por outros; no tempo da Igreja Cristã, é o termo com que os crentes se referem ao seu Deus.

 

Depois de Roma e Império, Dominus dá continuidade à narrativa do maior e mais lendário império na história da humanidade com alguns dos seus capítulos mais tumultuosos e significativos. Steven Saylor, autor bestseller de romances históricos e da aclamada saga Roma Sub Rosa – Um Mistério da Roma Antiga, regressa à cidade eterna para rematar a história iniciada em Roma e que, no culminar desta trilogia, relata acontecimentos cujo desfecho ainda hoje ressoa em todos nós.

 

O Império Romano atinge o seu zénite no ano de 165. A paz universal – Pax Romana – reina da Britânia ao Egipto, da Gália à Grécia. Marco Aurélio, que tem tanto de filósofo quanto de imperador, desfruta de uma idade de ouro na cidade de Roma. A família Pinarius e a sua oficina de artesãos embelezam a mais próspera e grandiosa cidade do mundo com estatuária dourada e imponentes monumentos de mármore. A arte e a razão florescem, mas a história não permanece imutável. Os anos vindouros trarão guerras, epidemias, chamas e grandes fomes. Hordas de bárbaros aproximam-se em ondas sem fim, acabando por investir contra os portões da cidade. O poder e o trono são um jogo em que vence quem der mais. O caos engole o império.

 

Durante todo este período, a família Pinarius persevera, mas uma convulsão ainda maior está prestes a tolher o império. À margem da sociedade, um culto perturbador dissemina ideais sediciosos… Pregam que todos em todo o mundo devem adorar um só Deus, o seu Deus. Autointitulam-se cristãos. Alguns dos imperadores lidam com os cristãos com tolerância, outros através da perseguição sanguinária – até que um imperador faz o impensável e converte-se ele próprio ao cristianismo. O seu nome é Constantino, e a revolução que os seus atos desencadearão mudará para sempre o destino do mundo.

 

Nas livrarias a 4 de novembro.

 

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK