Novelas Exemplares - Cervantes

Novelas Exemplares - Cervantes

ISBN:9789722531733
Edição/reimpressão:04-2016
Editor:Bertrand Editora
Código:000173001187
ver detalhes do produto
19,90€I
-10%
24H
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
19,90€I
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IEm stock - Envio 24H
IPORTES GRÁTIS

SINOPSE

As Novelas Exemplares foram escritas por Miguel de Cervantes na sequência do sucesso obtido com a publicação da primeira parte do seu romance D. Quixote de la Mancha. São doze novelas curtas que seguem o modelo italiano e que também cativaram Aquilino na sequência da tradução que também já tinha feito do D. Quixote. Estas traduções são profundamente marcadas pela liberdade interpretativa aquiliniana sem hesitações em utilizar a linguagem mais moderna da sua época na atualização do original. A descoberta daquele que é considerado por muitos como pai do romance moderno europeu exerceu um grande fascínio em Aquilino que certamente o impeliu também na direção de um dos exemplos iniciais do conto e novela modernos. Com mais de quatrocentos anos decorridos sobre estas Novelas Exemplares surpreende-nos a vivacidade que hoje continuam a apresentar e que devemos atribuir não só a Cervantes mas também ao brilhantismo que esta versão portuguesa apresenta e que certamente muito agradaria ao genial criador do D. Quixote.
Ver Mais

DETALHES DO PRODUTO

Novelas Exemplares - Cervantes
ISBN:9789722531733
Edição/reimpressão:04-2016
Editor:Bertrand Editora
Código:000173001187
Idioma:Português
Dimensões:148 x 233 x 33 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:480
Tipo de Produto:Livro
Aquilino Ribeiro nasce na beira Alta, em 1885 e morre em Lisboa em 1963.
Deixou uma vasta obra em que cultivou todos os géneros literários, partilhando com Fernando Pessoa, nas palavras de Óscar Lopes, lugar cimeiro nas Letras Portuguesas.
Sócio de número da Academia das Ciências, foi reintegrado após o 25 de Abril, a título póstumo, na Biblioteca Nacional, condecorado com a Ordem da Liberdade e homenageado aquando do seu centenário pelo Ministério da Cultura. Em setembro de 2007, por votação unânime da Assembleia da República, o seu corpo foi depositado no Panteão Nacional.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK