A Cortina de Ferro

A Destruição da Europa de Leste - 1944-1956

Formatos disponíveis
24,90€ I
22,41€ I
-10%
PORTES
GRÁTIS
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
24,90€ I
22,41€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO IMEDIATO
I Envio até 5 dias úteis
I PORTES GRÁTIS

SINOPSE

No final da Segunda Guerra Mundial, a União Soviética controlava um vastíssimo território na Europa de Leste. Estaline e a sua polícia secreta estavam determinados em transformar doze países radicalmente diferentes num novo sistema político e moral: o comunismo.

Anne Applebaum (vencedora do Prémio Pulitzer com Gulag) apresenta nestas páginas o trabalho definitivo sobre como surgiu a Cortina de Ferro e como era a vida do outro lado. A autora descreve em pormenor o modo como os partidos políticos, a Igreja, os meios de comunicação, as organizações juvenis, em suma, todas as instituições da sociedade civil foram rapidamente desmanteladas. Explica como a polícia secreta foi organizada e como todas as formas de oposição foram atacadas e destruídas. Como resultado, num período de tempo surpreendentemente curto, a Europa de Leste foi completamente estalinizada.

Recorrendo a documentos que estiveram inacessíveis por muito tempo e a fontes desconhecidas no Ocidente, Anne Applebaum segue as táticas comunistas a caminho do poder, as ameaças, os abusos e os assassínios. Conta ainda histórias individuais para mostrar as opções que foram apresentadas aos intervenientes: lutar, fugir ou colaborar.

A Cortina de Ferro constitui uma espantosa história de um período brutal e uma lembrança preocupante de quão vulneráveis são as sociedades livres.
Ver Mais

CRÍTICAS DE IMPRENSA

«A Cortina de Ferro é um livro excecionalmente importante que desafia de forma eficaz muitos dos mitos das origens da Guerra Fria. Um trabalho sábio, percetivo, notavelmente objetivo e brilhantemente pesquisado.»
Antony Beevor, autor de Rússia – Revolução e Guerra Civil (1917-1921), A Queda de Berlim (1945), A Segunda Guerra Mundial

«Este livro de ótima leitura de Anne Applebaum distingue-se pela sua capacidade de descrever e evocar a experiência pessoal e humana da sovietização em detalhes vívidos, com base em extensas pesquisas originais e entrevistas com aqueles que se lembram.»
Timothy Garton Ash, autor de Liberdade de Expressão – Dez princípios para um mundo interligado e Free World – A América, a Europa e o Futuro do Ocidente

«Despende-se tanto esforço a tentar compreender a democratização nos dias de hoje, e tão pouco se faz para tentar compreender os processos opostos. Anne Applebaum corrige esse desequilíbrio, explicando como e por que motivo as sociedades sucumbem ao domínio totalitário. A Cortina de Ferro é uma descrição profunda e eloquente dos acontecimentos que ocorreram há pouco tempo e em lugares não muito distantes – eventos que contêm muitas lições para o presente.»
Fareed Zakaria, autor de O Mundo Pós-Americano
«Um relato tragicamente íntimo da imposição do comunismo na Europa Central. Eis um mundo em que as autoridades políticas encerram sociedades de canto coral, clubes de observação de aves, tudo o que possa alimentar uma esfera social independente. A história é contada com engenho e com domínio científico.»
David Frum, The Daily Beast «A Cortina de Ferro de Anne Applebaum é certamente a melhor obra de história moderna que já li.»
A. N. Wilson, Financial Times

DETALHES DO PRODUTO

A Cortina de Ferro
ISBN: 9789722544481
Edição/reimpressão: 03-2023
Editor: Bertrand Editora
Código: 000173002412
Idioma: Português
Dimensões: 149 x 234 x 41 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 704
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > História > História da Europa
Historiadora, Anne Applebaum é especializada na História do comunismo e da Europa pós-comunista. É professora na London School of Economics, onde coordena um projeto de investigação sobre a desinformação e a propaganda. Através do seu trabalho alertou para as tendências antidemocráticas na Europa. É autora de vários livros, como O Crepúsculo da Democracia, Red Famine e Iron Curtain. Foi colunista do Washington Post, editora da revista Spectator e correspondente em Varsóvia do The Economist. Desde 2020 integra a equipa de redação da revista Atlantic. Escreve regularmente para o New York Review of Books, a Foreign Affairs e muitas outras publicações.
Ver Mais