Doida Não e Não!

Maria Adelaide Coelho da Cunha

avaliação dos leitores (1 comentários)
(1 comentários)
Presa num manicómio por um crime de amor
ISBN: 9789722535571
Edição/reimpressão: 02-2018
Editor: Bertrand Editora
Código: 000173001520
ver detalhes do produto
18,80€ I
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
18,80€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I EM STOCK
I PORTES GRÁTIS

SINOPSE

A mulher que enfrentou Egas Moniz, Júlio de Matos e os sábios da época. Filha e herdeira do fundador do Diário de Notícias. Mulher do administrador do mesmo jornal, o escritor Alfredo da Cunha. Presa num manicómio por um «crime de amor». Os factos relevantes têm início em Novembro de 1918: era uma vez uma senhora muito rica que fugiu de casa, trocando o marido, escritor e poeta, por um amante. Tinha quarenta e oito anos, pertencia à melhor sociedade portuguesa. O homem por quem esta senhora se apaixonou, tinha praticamente metade da sua idade e fora seu motorista particular. Era herdeira do Diário de Notícias e a sua história chocou a sociedade da época.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

FABULOSO
Maria Helena Marruz | 2018-12-03
É um livro fabuloso ! Conta-os a vida das mulheres daquela época. Os preconceitos, o machismo, a falta de respeito pelo SER HUMANO só por ser mulher ou de uma posicão social mais baixo e tudo mais, era terrível... até os psiquiatras entravam naquele "jogo " por dinheiro...

DETALHES DO PRODUTO

Doida Não e Não!
ISBN: 9789722535571
Edição/reimpressão: 02-2018
Editor: Bertrand Editora
Código: 000173001520
Idioma: Português
Dimensões: 148 x 234 x 24 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 408
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > Literatura > Biografias
Natural do Porto, onde nasceu a 1951, Manuela Gonzaga viveu dos 12 aos 24 anos em África – Moçambique e Angola –, onde nasceram os seus filhos mais velhos, respetivamente André e Marta. De regresso a Portugal, em 1974, onde lhe nasceram os seus dois outros filhos, Bernardo e Paulo, a autora foi jornalista até ao ano 2000, quando passou a desenvolver a atividade de escritora e historiadora a tempo inteiro. Mestre em História da Expansão e doutoranda em História Contemporânea na Faculdade de Ciências da Universidade Nova de Lisboa, a autora desenvolve trabalho académico nas áreas de Estudos da Mulher, Mentalidades(séculos XX e XXI) e Expansão (séc. XVI a XVIII). Prémio Femina/Matriz Portuguesa em 2021; Membro de Honra da Unión Hispanomundial de Escritores UHE Moçambique; Membro Honorário do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora, Manuela Gonzaga habituou-nos, no seu registo literário, a uma escrita profundamente sedutora e muito rigorosa, cruzando tempos, modos e geografias. A presença de África, de forma mais ou menos explícita, perpassa grande parte da sua obra. Muitos dos seus livros (romance, contos, biografia, literatura infantojuvenil) estão editados e traduzidos em francês.
Ver Mais