2024-01-22

O amor pelos livros e a importância da leitura em tempos de guerra

«O Clube de Leitura Antiguerra», de Annie Lyons, é uma história comovente sobre o poder reconfortante dos livros e da leitura e sobre a importância do espírito de comunidade nos tempos mais difíceis. Chega às livrarias a 1 de fevereiro.

Partilhar:

Gertie e Harry conheceram-se numa livraria e, em 1911, decidiram fundar o seu próprio espaço de venda de livros. A Livraria Bingham, nos arredores de Londres, tornou-se rapidamente um local de referência para os amantes de livros. Com o início da Segunda Guerra Mundial e os bombardeamentos da capital inglesa, a vida de Gertie, entretanto viúva, sofre uma reviravolta. Persuadida pelos amigos a juntar-se à rede que procura salvar crianças judias nos territórios controlados pelas forças nazis, recebe em sua casa uma refugiada alemã, Hedy Fischer.

 

Juntas, Gertie e Hedy enfrentam as dificuldades da guerra e procuram consolo nos livros. Criam um «clube de leitura antiguerra», que reúne vizinhos e amigos na Livraria Bingham. Abrigados das investidas alemãs que durante meses atingem Londres, discutem clássicos como O Monte dos Vendavais, de Emily Brontë. Na companhia dos livros e da comunidade que se cria à sua volta, Gertie e Hedy aproximam-se, partilhando histórias de lados opostos do conflito.

 

Uma história comovente e reconfortante sobre o poder dos livros e da leitura, O Clube de Leitura Antiguerra, de Annie Lyons, é também um hino à importância da comunidade e o seu papel fundamental nos tempos mais difíceis e sombrios.

 

O livro chega às livrarias a 1 de fevereiro, pela Bertrand Editora.